Exemplos positivos

As comissões de protecção de crianças e jovens (CPCJ) constituem uma rede viva, dinâmica e actuante.

Além das funções atribuídas e que lhes são próprias e específicas, desenvolvem acções de esclarecimento, debate e prevenção.

As respostas ao inquérito promovido pelo Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas (Cenjor), em colaboração com a Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CNPCJR), constituem uma amostra exemplificativa.

Um total de 48 comissões dá testemunho das acções que realizam. Muitas delas têm como objectivo primeiro divulgar as suas funções. Pretendem garantir o envolvimento da comunidade em acções de prevenção de situações de perigo. Querem ganhar toda a comunidade para a tarefa de promoção dos direitos das crianças e jovens.

A amostra aqui divulgada visa também um efeito multiplicador e disseminador dos bons exemplos. Visa colocar em rede exemplos de ideias bem sucedidas, que possam ser adoptadas por outras comissões, em outros locais do país.

CPCJ Alcobaça
CPCJ Alcoutim
CPCJ Almeirim
CPCJ Alpiarça
CPCJ Aveiro
CPCJ Baião
CPCJ Barreiro
CPCJ Beja
CPCJ Braga
CPCJ Caldas da Rainha
CPCJ Câmara de Lobos
CPCJ Carregal do Sal
CPCJ Cascais
CPCJ Coimbra
CPCJ Corvo
CPCJ Esposende
CPCJ Fornos de Algodres
CPCJ Gavião
CPCJ Gondomar
CPCJ Lagoa
CPCJ Lisboa Centro
CPCJ Lisboa Ocidental
CPCJ Madalena
CPCJ Maia
CPCJ Mangualde
CPCJ Marinha Grande
CPCJ Mira
CPCJ Nelas
CPCJ Odivelas
CPCJ Oeiras
CPCJ Oliveira de Azeméis
CPCJ Ovar
CPCJ Paredes
CPCJ Ponta do Sol
CPCJ Ponte de Sor
CPCJ Portimão
CPCJ Santa Cruz
CPCJ Santa Cruz da Graciosa
CPCJ Santana
CPCJ Santarém
CPCJ Santiago do Cacém
CPCJ São João da Pesqueira
CPCJ São Vicente
CPCJ Sobral de Monte Agraço
CPCJ Soure
CPCJ Sousel
CPCJ Tabuaço
CPCJ Vila Franca do Campo